Tiago Monteiro gostava de continuar no WTCC em 2010 mas como a Seat não decide o que fazer, o português procura alternativas e foi guiar um SuperGT ao Japão.

 

A Seat tarda a definir as suas actividades desportivas para 2010 e sabendo de antemão que a equipa de Martorell deverá reduzir o seu envolvimento oficial no Mundial de carros de Turismo, Tiago Monteiro está a estudar alternativas para se manter em actividade como piloto profissional. Nesse sentido, o portuense deslocou-se ao Japão a convite da Nismo (o braço desportivo da Nissan) para testar um Super GT500, um carro semelhante ao Lexus que André Couto tem guiado no Campeonato japonês de GT.

“Aceitei o convite para guiar este carro com grande curiosidade”, conta Monteiro, “é um carro que tem um conceito muito semelhante ao do DTM, tipo protótipo e que é muito rápido. Alia´s, num teste comparativo que fizeram com o DTM, o SuperGT 500 conseguiu fazer menos oito segundos por volta, o que é impressionante. O carro tem uma grande carga aerodinâmica.”

De qualquer forma, apesar de entusiasmado pelo teste, Monteiro não assumiu nenhum compromisso porque, “estou a analisar a situação e a ver as propostas que se colocam. A minha vontade é continuar no WTCC mas como nada se decide tenho que estar a par com o que se perspectiva. 2010 não vai ser fácil para os pilotos profissionais e por isso tenho de encarar todas as hipóteses, como por exemplo o Le Mans Series, o FIA GT ou até a Superliga Formula de quem recebi recentemente um convite para guiar um dos seus monolugares”, concluiu Tiago Monteiro.

Assine Já

Edição nº 1460
Já nas bancas

Digital Papel

Top

Os mais recentes